quinta-feira, 4 de março de 2010

A década é delas!

Se Shakespeare tivesse conhecido Gisele, Ana Maria, Ivete, Beyoncé, Renata, Ana Carolina, Lília, Sandy, Patrícia e Hebe, talvez sua célebre frase ''Fragilidade, teu nome é mulher!'' não existisse. Essas artistas dos palcos, da TV e das passarelas são, antes de mais nada, guerreiras que conquistaram um lugar ao sol com muita garra e determinação. São vitoriosas, eleitas por mais de 360 mil internautas que votaram no site www.contigo.com.br entre janeiro e fevereiro de 2010 e escolheram uma representante de cada ano, de 2000 a 2009, que apresentamos a seguir nesta homenagem da CONTIGO! ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março

2005

Ana Carolina sem pudores



A cantora mais popular do Brasil saiu do armário. E, em 2005, ano em que completou 31 de idade, declarou à revista VEJA: ''Sou bi. E daí?'' Tratou o assunto com coragem e leveza. ''Acho natural gostar de homens e mulheres.'' No começo da carreira, a mineira Ana Carolina já havia lançado quatro CDs desde 1999 - com a marca surpreendente de 1,5 milhão de cópias vendidas, 800 mil delas só em 2005, quando também começou a parceria com Seu Jorge. O disco que gravaram juntos atingiu a vendagem de 125 mil exemplares em apenas duas semanas. Um estouro. Por tudo isso, suas confissões à imprensa ganharam tamanha repercussão. Ela contou que aos 16 anos tomou a decisão de contar para a mãe que se sentia diferente das amigas. ''Fiz isso de supetão. Estávamos falando de um assunto qualquer e eu soltei a confissão, como se não fosse nada. ‘Mãe, eu gosto de homens e de mulheres. Dá para a senhora me passar aquele negócio ali, por favor?’'' A mãe aceitou. O público e os inúmeros fãs de sua voz grave também.

Fonte: Contigo.com

4 comentários:

Ariane* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ariane* disse...

..eu a Admiro muito, demais demais !!! .. não tenho nem palvras ... :$
..Sou fã,e daí ? ... Amo mesmooooo !

Anônimo disse...

Acho, sinceramente, que competência não está ligada à sexualidade. Homens e mulheres possuem a mesma capacidade de realizar trabalhos de altíssima qualidade, basta dedicarem-se o suficiente para conseguirem as pretendidas metas. Neste sentido, a minha musa maior, ANA ANINHA CAROLINA,disse, em outras palavras, que ela sempre foi "autista" em relação do trabalho. No meu cotidiano, leva esta frase comigo e é o que me inspira em muitas e muitas ocasiões. ANA CAROLINA é um exemplo maravilhoso de vida, quanto à superação de limites e luta por alcance de objetivos. A biografia dela me anima, me incentiva ao desenvolvimento pessoal e profissional e é um dos motivos porque eu a amo e admiro tanto...!LUCIA BORTOLI- Ribeirão Preto/São Paulo.

Diego disse...

admiro o trabalho e a pessoa de Ana Carolina, ela é simplesmente a melhor, faz um trabalho incrível, independentemente de qualquer coisa. Ela é uma parte da minha vida. Amo Ela.